FÁBRICA DE BISCOITO

 

 

FICHA TÉCNICA

Setor da Economia: secundário

Ramo de Atividade: indústria

Tipo de Negócio: fabricação de biscoito

Produtos Ofertados/Produzidos: biscoitos

Investimento inicial: 140mil reais

Área: 300m²

 

APRESENTAÇÃO

Os primeiros registros existentes sobre os biscoitos estão ligados à época dos faraós. No Antigo Egito foram encontradas dentro da tumba do faraó Ti, pinturas que mostram um trabalhador assando biscoitos, quando os homens descobriram que, do trigo cultivado às margens do rio Nilo, poderiam fazer uma massa, que se tornava mais saborosa depois de aquecida. Os biscoitos eram assados em fornos rústicos e moldados com formas humanas ou de animais, para serem oferecidos às divindades. Os egípcios acreditavam que dessa forma teriam chuvas e solo fértil o ano inteiro. O hábito de produzir biscoitos estendeu-se aos poucos para outras regiões do Mediterrâneo e do Oriente Médio. Na Grécia, os "Dipires", ou pães assados duas vezes, também assinalaram o nascimento do biscoito, uma das funções iniciais do biscoito foi como suprimento de batalha. Na Roma antiga, os padeiros assavam os pães duplamente para abastecer as legiões. Já o "biscoito de guerra", seco e pequeno, tomou o lugar do pão de campanha em 1792. Nessa mesma época, o exército russo utilizava o "biscoito de carne" criado pelo príncipe Dolgorouki, enquanto as tropas inglesas consumiam biscoitos inventados por oficiais. Mas foram os franceses que, ao longo dos séculos, descobriram novas técnicas para produzir biscoitos. A principal delas consistia em assar a massa duas vezes. Assim, a umidade se reduziria bastante e o período de conservação seria maior. A palavra biscoito vem justamente daí: o termo em francês "bis-cuit" significa assado duas vezes. Na Inglaterra do século XIX, iniciou-se a fabricação industrial e o biscoito perdeu sua característica militar e ganhou o status de produto de luxo. A casa Carr & Cia, pioneira na industrialização, expandiu a produção e passou a exportá-lo para países onde se consumia chá, adaptando-o para acompanhar essa bebida. Em 1904, o alemão Hermann Bahlsen inventou uma embalagem hermeticamente fechada para conservar suas características. Estava criado o pacote de biscoitos como nós conhecemos hoje.

 

MERCADO

O Brasil é o segundo maior produtor mundial de biscoitos, com uma média de 1.250 mil toneladas/ano, estando atrás apenas dos Estados Unidos. Os biscoitos estão presentes em 99% dos lares brasileiros e o faturamento anual do setor é na ordem de R$ 7 bilhões.

O mercado de biscoitos é segmentado em doze categorias, sendo que a de recheados responde por cerca de 30% dos produtos comercializados em nosso país. O setor ocupa a 36ª colocação entre os exportadores. Os cinco maiores destinos das exportações de biscoitos são: Angola, EUA, Paraguai, Uruguai e Argentina. Biscoito recheado também é o principal, representando 41% do total de produtos exportados; em seguida vem o wafer, com 26% do total das exportações em faturamento.

Em 2013, a ANIB lançou uma nova marca para representar o setor no exterior - a Happy Goods - com o objetivo de melhorar a percepção dos compradores do exterior em relação aos produtos brasileiros. Criada pelo GADLippincott - Consultoria de Branding, a marca pretende estabelecer uma conexão emocional e valorizar atributos fortes que traduzem o que todos já sabem: que biscoitos e bolos fazem as pessoas felizes e que os brasileiros são conhecidos por sua alegria. A intenção é chamar ainda mais atenção do mercado comprador internacional para o importante parque tecnológico, para a qualidade dos produtos e para a força das empresas nacionais. Esta característica é valorizada pelo selo “Baked in Brasil”, um slogan que acompanha a marca e reforça a origem dos produtos.

O consumo anual de biscoitos no mercado interno é de 6,16 kg por habitante.

 

LOCALIZAÇÃO

O local deve oferecer infraestrutura adequada e condições que propiciem o desenvolvimento da indústria. É fundamental avaliar a facilidade do acesso considerando a entrada de insumos e expedição de produtos acabados. Procure instalar-se em pólos industriais específicos ou mais próximo dos insumos. As atividades econômicas da maioria das cidades são regulamentadas pelo Plano Diretor Urbano (PDU). É essa Lei que determina o tipo de atividade que pode funcionar em determinado endereço. A consulta de local junto à Prefeitura é o primeiro passo para avaliar a implantação de sua fábrica. Na Prefeitura de Vitória o PDU é fornecido a partir de consulta no site.

 

ESTRUTURA

A estrutura básica requer uma área de 300m² aproximadamente, onde deverá ser instalada a área de produção, recepção, área administrativa, estoque, banheiro e vestiário para os funcionários.

 

EQUIPAMENTOS

Os equipamentos básicos são:

- Masseira (recipiente onde se prepara a massa);

- Esteira, cilindro e roseteira;

- Forno industrial;

- Máquina embaladora de mesa;

- Seladora de embalagens;

- Material e equipamentos de escritório e expediente (computadores, fax, telefone, mesas, cadeiras, etc.).

 

Informatização - Uma empresa informatizada tem grandes chances de sair na frente do concorrente. Além de facilitar os processos, garantem a segurança na tomada de decisões, melhora a produtividade e diminui os gastos.  Escolha um projeto abrangente que atenda toda a empresa, desde o gerenciamento de conteúdo para websites, até os controles administrativos (financeiro, estoque, caixa, cadastro de clientes, etc.), passando pela automação inclusive: caixas eletrônicas, impressoras para preenchimento automático de cheques, código de barras nos produtos, etc.

 

INVESTIMENTOS

O investimento varia muito de acordo com o porte do empreendimento e do quantitativo de que dispõe o investidor. Considerando uma fábrica de pequeno porte, voltada para produção em série, montada numa área de 300m², será necessário um investimento de R$140mil aproximadamente.

 

Obs.: os valores apresentados são indicativos e servem de base para o empresário decidir se vale ou não a pena aprofundar a análise de investimento.

 

PESSOAL

No início das atividades a indústria vai precisar de aproximadamente oito pessoas.

 

PROCESSOS PRODUTIVOS

Tipos de Biscoitos - Existem várias classificações usadas para esse produto:

- Biscoitos de massas duras (conhecidos como estampados): nesse tipo de produto o teor de proteína da farinha deve ser baixo;

- Biscoitos de massas moles: nesse tipo de produto, o teor de proteína já pode ser médio, em torno de 9%;

- Biscoitos de massas fermentadas: o teor de proteína já é mais elevado, em torno de 11%. São conhecidos como biscoitos "cream cracker”, salgadinhos.

 

A opção pela produção de apenas um tipo de biscoito, visa baixar o custo do investimento inicial, sendo que a partir da penetração no mercado pede-se ampliar a variedade de produtos com aquisição de novos equipamentos. Mas nada impede que o empreendedor inicie as atividades oferecendo maior variedade de produto.

Matéria Prima - Os ingredientes estão divididos por funções principais, que são:

1) Amaciador: açúcar, gema de ovo e gordura;

* Açúcar. Serve para fornecer a doçura, aumentar a maciez, contribuir para o volume, desenvolver cor de crosta agradável, agir como veículo para outros aromas, ajudar na retenção de umidade e dar um acabamento atrativo.

* Gordura. Esse ingrediente é um dos mais importantes no processamento do biscoito, e também um dos mais caros. A maioria das gorduras vegetais têm um aroma mais brando e uma ampla faixa de temperatura, além de possuir aditivos estabilizadores. Normalmente, a gordura num biscoito funciona como amaciador, contribuindo com o aroma e sabor, melhora a expansão, lubrifica a massa. Pode eventualmente funcionar como agente de crescimento pela retenção do ar.

* Gema de ovo. As gemas contribuem para a cor, o sabor e o efeito “shortening”, devido ao seu material gorduroso e à sua ação emulsificante. Contribui também às qualidades estruturais, que são expressas em características de textura e aparência.

 

2) Estruturador: farinha, leite, água e sal;

* Farinha de trigo. Este é o principal componente de aproximadamente quasetodos os biscoitos. É responsável pela formação da rede de glúten, por isso é um ingrediente responsável pela estrutura do biscoito;

* Sal. O sal é um ingrediente que, além de contribuir para o sabor do produto, é responsável pelas características de desenvolvimento da proteína do trigo (glúten). O sal entra na composição de uma formulação em teores variando de 0,6 a 1,5% sobre a farinha de trigo. É sempre aconselhável uma uniformização do sal para que os equipamentos de distribuição não tenham problemas. Ele deve ser o mais puro possível, principalmente isento de cobre, para evitar a rancificação da gordura. Também deve-se evitar o excesso de alcalinidade, pois isso pode afetar o pH da massa do biscoito.

* Leite. O leite é um ingrediente que tem sido utilizado na formulação de biscoito há muito tempo. Pode-se usar o leite líquido ou em pó, sendo o último mais usado pelas facilidades de manuseio. A proteína do soro é mais solúvel em água e possui um melhor poder amaciante da massa (o que facilita seu manuseio nos equipamentos) e do produto final. Por outro lado, pelo maior teor de lactose, o produto feito com adição de soro tende a se escurecer mais rapidamente na assadura.

* Água. É elemento importante na formulação e tem a função principal de dissolver os ingredientes, além de hidratar o glúten, possibilitando o seu desenvolvimento. Seu pH pode afetar de certo modo a qualidade da massa. Outro problema que pode eventualmente ocorrer é a presença de cobre ou outro metal associado ao aparecimento da rancificação de gordura.

 

Processo de Fabricação - O processo de produção de biscoitos é bastante simples, compondo-se das seguintes etapas:

-1º. Mistura. Geralmente, a técnica utilizada é a de dois estágios:

* Primeiro Estágio. É feito um creme de gordura, açúcar, xarope, leite em pó ou outro ingrediente enriquecedor ou emulsificante;

* Segundo Estágio. A farinha e os agentes de crescimento dissolvidos em água são adicionados ao creme.

O tempo de mistura na primeira fase em misturador horizontal é de 3 a 5 minutos, ao passo que na segunda fase o tempo pode ser um pouco maior, a uma velocidade menor. A velocidade do misturador para o creme deve ser 86 r.p.m. e durante cinco minutos. Depois adicionam-se os demais ingredientes a baixa velocidade e durante cinco minutos.

- 2º. Laminação, Moldagem. A massa é laminada no cilindro de reversão, e em seguida é conduzida, através da esteira, para moldagem ou rosetagem onde serão elaborados os biscoitos.

- 3º. Assadura. Como o tamanho dos biscoitos é muito variável, é difícil estipular uma temperatura e tempo de assadura. Pode haver uma variação de cinco até doze minutos. Quanto à temperatura, esta deverá ser maior no teto do que na base. Em relação às zonas do forno, a temperatura no meio deverá ser maior do que nas extremidades.

- 4º. Embalagem. Ao sair do forno, os biscoitos são transportados e embalados.

 

Biscoitos Caseiros - Para a fabricação de biscoitos caseiros, os cuidados de higiene devem ser rigorosamente seguidos, estendendo-se às pessoas que fabricam o produto, às instalações e equipamentos, à matéria prima e embalagens utilizadas. O tipo, a qualidade e a proporção dos ingredientes são fatores determinantes da qualidade dos produtos fabricados. Outros pontos importantes, e que devem ser observados:

- Temperatura dos ingredientes durante o preparo;

- Ordem e métodos de misturar os ingredientes;

- Temperatura e período de tempo para assar. Do uso correto do forno dependerá o sucesso das quitandas, portanto, é necessário estar atento e usar sempre a temperatura indicada nas receitas.

 

Temperaturas do forno Cada forno tem suas especificações, mas basicamente as temperaturas correspondem a: Forno muito baixo - 120 a 135ºC Forno baixo - 150 a 160ºC Forno moderado - 160 a 190ºC Forno quente - 200 a 220ºC Forno muito quente - 230 a 240ºC Forno extremamente quente - 270 a 275ºC Fonte: Neves, 1978

 

Dica: o Serviço Brasileiro de Resposta técnica – SBRT é um conjunto de instituições que trabalha com o objetivo de orientar tecnicamente os processos produtivos de produtos. Apresenta soluções de problemas tecnológicos de baixa complexidade, em áreas específicas, mediante o fornecimento de resposta técnica personalizada, elaborada sob medida e gratuita. Vale à pena conferir: http://sbrt.ibict.br

 

DIVULGAÇÃO

O ditado popular diz que a propaganda é a alma do negócio, devemos nos preocupar em comunicar sobre nossos serviços tanto com os clientes externos quanto com os internos que no caso são seus próprios funcionários. Você precisa atingir os consumidores e garantir as vendas, para isso deverá planejar o seu marketing, obtendo uma noção realista dos custos de seus serviços, adaptando e otimizando os recursos para melhor posicionar os seus serviços, motivando os consumidores e estruturando sua comercialização de modo a atingir seu mercado-alvo com sucesso. O marketing deve ser contínuo e sistemático.

Num plano de marketing é importante o conhecimento de elementos como preço, produto (serviço), ponto (localização) e promoção. Avaliar os desejos e necessidades de seus clientes ou usuários em relação a funções, finanças, facilidade, feeling e futuro.

 

DIVERSIFICAÇÃO

Para alcançar o sucesso neste mercado é importante oferecer diferenciais. Procurar novas formas de apresentar os produtos tornando-os mais atrativos que os do concorrente. Incrementar as vendas, usando os meios de comunicação disponíveis no mercado, optando pela demanda no atacado, implementar sistemas de vendas diversificados. Uma boa forma de diversificar seu leque de atuação é agregando valor ao produto principal. Fazer biscoitos de diferentes sabores, inovar nas embalagens, fazer promoções, etc.

 

NOTÍCIAS

Para quem vai ingressar no ramo, manter-se atualizado sobre o que acontece na moda é fundamental para sugerir à clientela desenhos e cortes que se diferenciem das roupas convencionais encontradas nas lojas. Pesquisar na Internet e em revistas de moda, além de participar de feiras são formas de buscar informações sobre o setor.

Fique sempre atento aos noticiários, programas de televisão, revistas específicas, jornais (cadernos especiais), etc., pois estes são meios de manter-se atualizado quanto às novidades da sua área de atuação.

 

Fabricantes de biscoitos projetam expansão de 7%

Por Letícia Casado - De São Paulo - 03/01/2014

As indústrias de massas e biscoitos projetam para 2014 expansão no faturamento na faixa de 3% a 7%, em relação ao ano passado. Os volumes a serem produzidos tendem a empatar com o do ano passado, no caso das massas. Para biscoitos, pode haver aumento de 3%.

A estratégia dos fabricantes é continuar apostando na venda de produtos de maior valor agregado, o que permitiria aumentar ou recompor margens de lucro, pressionadas em 2013 por insumos mais caros.

A Associação Brasileira das Indústrias de Massas Alimentícias e Pão e Bolo Industrializados (Abima) projeta que as vendas de massas alimentícias cresçam entre 3% e 4% em 2014 - mais do que os 2% a 3% estimados para 2013. Os dados consolidados sairão nos próximos meses, mas, se confirmado, o ritmo do crescimento da indústria de massas em 2013 ficará abaixo da projeção feita no começo do ano, de 3,5%. E o avanço será similar ao de 2012, quando o faturamento cresceu 2%, para R$ 6,22 bilhões, e o volume recuou 0,4% em relação a 2011.

A estimativa do setor de biscoitos é que seu faturamento, de R$ 7 bilhões em 2012, tenha crescido entre 8% e 10% no ano passado. Em maio, a estimativa da Associação Nacional das Indústrias de Biscoitos (Anib) era de que seria possível crescer 10%. Mas a previsão para 2014 é de uma expansão de 7%, em valor. Já os volumes podem crescer 3% em relação a 2013.

O volume de biscoitos produzido no ano passado deve ter empatado com o de 2012, quando o setor fabricou 1,25 milhão de tonelada, segundo a Anib.

Os fabricantes de biscoitos identificaram que o consumidor está procurando um mix de produtos mais "rico" e trocando o produto simples por aqueles mais elaborados, como recheados ou funcionais, mais caros.

Em 2014, segundo Claudio Zanão, presidente da Abima, a previsão é de que o faturamento de pães industrializados cresça 10%. Para bolos prontos, a projeção é de uma alta de 13% porque "o mercado ainda não está consolidado como as massas e pães". Já o macarrão está presente em 99,6% dos lares no país, de acordo com o executivo.

"O grande destaque do ano [2013] foi a consolidação da tendência de migração do consumo para produtos com maior valor agregado, resultado do aumento do poder de compra do consumidor", diz Alexandre Colombo, presidente da Anib. "Também atribuo o desempenho do setor em 2013 à diversificação dos produtos oferecidos", disse ele, que também notou maior demanda por produtos "com mais apelos à saúde e ao bem-estar".

As empresas, então, ampliaram o leque de produtos funcionais, integrais e naturais. O setor também, segundo o executivo, ofereceu novas embalagens e formatos. O modelo de lojas "atacarejo" abriu espaço para pacotes tamanho-família.

Já Zanão, presidente da Abima diz que a indústria de massas tem o objetivo de estimular a variação do consumo, uma vez que 57% das vendas de massas secas no país são de espaguete, enquanto são produzidos outros 50 formatos diferentes de macarrão no Brasil.

Quanto ao pão industrializado, o cenário é mais favorável, diz Zanão. "As empresas estão apostando na diversificação de sabores, tipos e quantidades de grãos para dar opções mais saudáveis, bem como em embalagens diferentes para atender às diversas preferências. O bolo industrializado, por sua vez, também apostou na diversificação de sabores e em monoporções [porções individuais], tendência que está em alta."

Os setores de massas e biscoitos tiveram um 2013 complicado em relação ao aumento de custos. A quebra de safras de trigo no Brasil e na Argentina reduziu a oferta desse insumo e impactou a cadeia de alimentos. E a alta do dólar ante o real afetou os preços de matérias-primas: do leite ao plástico e alumínio para embalagens, tudo ficou mais caro no ano.

As fabricantes que não conseguiram repassar os custos ao consumidor, perderam margem. A inflação na cadeia foi generalizada. Zanão, da Abima, diz que o setor de massas teve "alguns repasses de preço, que chegaram a 20%" devido à alta do trigo (ver gráfico acima).

Segundo Colombo, da associação de biscoitos, o aumento no preço da farinha de trigo foi de mais de 50% em um ano e meio, e o reajuste médio de preços em 2013 ficou em 10%. Além do trigo, a Anib informa que o aumento de custos com gorduras estimularam o repasse de preços. Os biscoitos estão presentes em 99% dos lares, de acordo com a associação.

A inflação medida pelo IPCA, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que nos 12 meses até novembro a farinha de trigo subiu 32,56%. O pão doce ficou 14,76% mais caro, no mesmo período.

 

Fonte: Valor Econômico - Disponível em:

http://www.abrasnet.com.br/clipping.php?area=9&clipping=42864

 

 

CURSOS E TREINAMENTOS

SEBRAE/ES - Av. Jerônimo Monteiro, 935, Ed. Sebrae, Centro. Vitória/ES CEP: 29010-003 Tel.: 0800 570 0800 - www.sebrae.com.br/espiritosanto

Disponibiliza para o empresário uma carteira com mais de 30 títulos de cursos e palestras abordando os mais variados temas e objetivos. A Educação Empresarial do SEBRAE é um instrumento que ajuda superar com maior facilidade os obstáculos encontrados ampliando, consequentemente, o horizonte de conhecimentos necessários nessa função.

 

Cursos: Técnicas de Vendas; Gestão de Visual de Loja; Gestão Empresarial Integrada; Estratégia Empresarial; Formação de Preços para o Varejo; Gerência de Rotinas e Procedimentos em Vendas; Atendimento ao Cliente; Como Vender mais e Melhor; Iniciando um Pequeno Grande Negócio (com carga horária de 30h); Empretec (carga horária de 72h); Administração Básica para Pequenas Empresas (carga horária de 20h); entre outros.

 

Palestras Gerenciais: Atendimento a Clientes; Comece Certo – Planejamento e Análise; Determinação do Capital de Giro; Gerenciando o Fluxo de Caixa com Eficiência; Promoção de vendas; Entendendo Custos, Despesas e Preço de Venda; A Empresa e os Novos Tempos; Qualidade no relacionamento ao cliente; Como Conquistar e Manter Clientes.

 

Ensino à Distância - http://www.ead.sebrae.com.br - Aprender a Empreender; IPGN – Iniciando um Pequeno Grande Negócio; APF – Análise e Planejamento Financeiro; CVMM – Como Vender Mais e Melhor; D-OLHO na Qualidade – 5s para Pequenos Negócios; Atendimento a Cliente; BPSA – Boas Práticas nos Serviços de Alimentação – Gestão da Segurança; MEI – Microempreendedor Individual; etc.

 

Boas Práticas de Higiene e Manipulação de Alimentos

Carga horária: 16 horas SENAC – Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Av. Marechal Mascarenhas de Moraes, 2077, Bento Ferreira Vitória/ES CEP: 29052-121 Tel.: (27) 3325-8311 - http://www.es.senac.br

 

Videocurso – Centro de Produções Técnicas

Rua Dr. João Alfredo 130 - Bairro Ramos – Viçosa/MG. CEP: 36570-000. Tel.: (31) 3899-7000 / Fax: (31) 3899-7000 - http://www.cpt.com.br

 

EVENTOS

O empreendedor deve estar sempre em contato com as entidades e associações para obter informações sobre os eventos que ocorrerão dentro da sua área (tipo, data, local de realização). Os eventos como feiras, roda de negócios, congressos, etc., são muito importantes para o empresário ficar por dentro das tendências de mercado, conhecer novos produtos e tecnologias, realizar parcerias e fazer bons negócios.

 

Onde pesquisar:

* União Brasileira de Feiras e Eventos -http://www.ubrafe.com.br

* Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – http://www.expofeiras.gov.br

* http://www.anib.com.br

 

ACAPS - Convenção Capixaba de Supermercados

Periodicidade: anual Local: Pavilhão de Carapina – Serra/ES Organização: ACAPS – Associação Capixaba de Supermercados Tel.: 3324-3599 - http://www.acaps.org.br

 

FISPAL Food Service -

Local: Expo Center Norte – São Paulo/SP. Tel.: (011) 5694-2666. E-mail: telemarketing@fispal.com - Organização: Brasil Trade Show - São Paulo/SP – Tel.: (11) 3598-7800 – Fax: (11) 3598-7801 - http://www.fispalfoodservice.com.br

 

FIPAN

Local: Expo Center Norte – São Paulo/SP - Tel.: (11) 3159-4223 - http://www.fipan.com.br

 

Salão Sabores – 14º. Salão Técnico e de Negócios em Gastronomia do Espírito Santo

Período: Anual. Local: Vitória/ES. Organização: Win Central de Eventos – Tel.: (27) 3345-0921 - E-mail: info@salaosabores.com.br - http://www.feirasabores.com.br

 

LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA

- Cartilha do Fornecedor Capixaba - é um documento que dá as diretrizes legais (direitos de deveres) que norteiam a relação cliente x fornecedor. Está disponível para consulta na Biblioteca do SEBRAE/ES ou no site:

http://www.procon.es.gov.br/download/Cartilha_Fornecedor_Capixasba.pdf

 

- Simples Federal: para enquadrar essa atividade no SIMPLES

Verifique junto com seu contador se ela está de acordo com a definição de microempresa ou de empresa de pequeno porte, bem como se não está inclusa em qualquer das vedações prevista na Lei Complementar nº 123/2006 (Lei do Simples Nacional). 

 

Essa atividade exige o conhecimento de algumas leis:

- Lei nº. 8.078/1990 (Código de Defesa do Consumidor) – Alterada pela Lei nº 8.656/1993, Lei nº 8.703/1993, Lei nº 8.884/1994, Lei nº 9.008/1995, Lei nº 9.298/1996, Lei nº 9.870/1999, Lei nº 11.785/2008, Lei nº 11.800/2008, Lei nº 11.989/2009, Lei nº 12.039/2009 e Lei nº 12.741/2012.

 

- Lei nº. 6.080/2003 – Código de Posturas e Atividades Urbanas do Município de Vitória. Regulamentada pelo Decreto nº 11.975/04. Ref.Proc. 5766168/03. Lei nº 6412-05-acrescenta inciso IX ao § 2º.Alterada pelas Leis nºs 6679/06 e 6680/06. Acrescentado inciso IX ao § 2º do Art. 99, pela Lei nº 7.063/07. Regulamentado inciso III do Art. 194, pelo Decreto nº 13.853/08. Acrescentado artigos pela Lei nº 7598/08. Acrescentado § 3º no Art. 43, pela Lei nº 7.768/09 - § 3º. Na fixação de nomes de bens públicos municipais deverá ser reservado um percentual de 50% (cinquenta por cento), no mínimo, para o gênero feminino.”(NR) - Alterada Redação do § 1] do Art. 19 pela Lei nº 7.775/09. Acrescentado Parágrafo único ao Art. 27, pela Lei nº 7.842/09. Alterado o Parágrafo único do Art. 145 pela Lei 7802. Nova redação ao Art. 123 pela Lei nº 8.005/10. Aincluído inciso XII no Art. 186 pela Lei nº 8.166/11. Alterado o Parágrafo único do Art. 145 pela Lei nº 8.297/12. Alterado o Art. 145 pela Lei nº 8.390/12. Acrescentado § 2º ao Art. 27 pela Lei nº 8.506/13. Incluído artigo 102-A pela Lei nº 8.523/13. Alterado Arts. pela Lei nº 8.597/13. Acrescentado Arts. 27-A e 27-B -atividade circense -pela Lei nº 8.584/13. Acrescentado Art. 90-A pela Lei nº 8.616/14.Acrescentado Parágrafo único ao Art. 35, pela Lei nº 8.631/14. Revogados Arts. 89, 90, 91 e 92 pela Lei nº 8.696/14.

 

 

- Lei Federal nº. 7.967/89. Dispõe sobre o valor das multas por infração à legislação sanitária, altera a Lei nº. 6.437, de 20 de agosto de 1977, e dá outras providências. 

 

- Lei Municipal nº. 4.742/98. Dispõe sobre o funcionamento dos estabelecimentos prestadores de serviços, comerciais e industriais no Município de Vitória, aos sábados domingos e feriados. revoga os artigos 217, 218, 219 e 220 da Lei 2481/77, as Leis nºs 3167/84, 3500/87, 3979/93 e 4098/94. Suprimido o item 3 do art. 1º; alterada a alínea b, item 2 do art. 2º; acrescentado um art. 3º, renumerando os seguintes. Alterada pela Lei nº 4875/99. Revogada pela Lei nº 6080/03

 

- Boas Práticas (BP) são procedimentos que devem ser adotados por serviços de alimentação, a fim de garantir a qualidade higiênico-sanitária e a conformidade destes produtos com a legislação vigente.

 

- Resolução de Diretoria Colegiada - RDC nº. 216 da ANVISA, de 15 de setembro de 2004 - Em vigor dia 15 de março de 2005. Dispõe sobre Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação. 

 

- Decreto-Lei nº. 986/69. Institui Normas Básicas sobre Alimentos. Alterada pela Lei nº 9.782/1989 e Medida Provisória nº 2.190/2001.

 

- Portaria nº. 326/SUS/MS/97. Aprova o Regulamento Técnico; "Condições Higiênico-Sanitárias e de Boas Práticas de Fabricação para Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos".

 

REGISTRO ESPECIAL

Para registrar sua empresa você precisa de um contador. Profissional legalmente habilitado para elaborar os atos constitutivos da empresa, auxiliá-lo na escolha da forma jurídica mais adequada para o seu projeto e preencher os formulários exigidos pelos órgãos públicos de inscrição de pessoas jurídicas. Além disso, ele é conhecedor da legislação tributária à qual está subordinada a nossa produção e comercialização. Mas, na hora de escolher tal prestador de serviço, deve-se dar preferência a profissionais qualificados, que tenham, boa reputação no mercado e melhor que seja indicado por alguém que já tenha estabelecido com ele uma relação de trabalho.

O processo de registro de empresas passa por diversos órgãos, cada um com sua competência específica: Junta Comercial; Secretaria da Receita Federal (CNPJ); Secretaria Estadual de Fazenda – Sefaz-ES; Prefeitura Municipal; Corpo de Bombeiros Militar.

Hoje o processo está simplificado por meio do REGIN – Sistema Integrado de Registro Mercantil. É um sistema de registro de pessoa jurídica, que permite que todo o processo de viabilidade de constituição das novas empresas seja feito on line do escritório do próprio empreendedor ou de seu contador, sem necessidade de presença física na Junta Comercial. Com o uso do sistema todos os processos terão de ser feitos via REGIN, que pode ser acessado através do site da Junta – www.jucees.es.gov.br, e quando completados os documentos serão levados a um só local, a Prefeitura conveniada com a Junta Comercial do Espírito Santo.

Algumas outras providências necessárias:

- Enquadramento na Entidade Sindical Patronal (empresa ficará obrigada a recolher por ocasião da constituição e até o dia 31 de janeiro de cada ano, a Contribuição Sindical Patronal);

- Cadastramento junto à Caixa Econômica Federal no sistema “Conectividade Social - INSS”.

- Alvará de licença sanitária – para obter esta licença o estabelecimento deve estar adequado às exigências do Código Sanitário (especificações legais sobre as condições físicas). Em âmbito federal a fiscalização cabe a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, estadual e municipal fica a cargo das Secretarias Estadual e Municipal de Saúde.

 

ENTIDADES

ANIB - Associação Nacional das Indústrias de Biscoitos

Avenida Paulista, 1754, 10º andar, cjs. 103/104. São Paulo/SP. CEP: 01310-920. Tel.: (11) 3251-3455 - Email: anib@anib.com.br - http://www.anib.com.br

 

Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação

Av. Brig. Faria Lima, 1478 -11º andar 01451-913 - São Paulo/SP. Tel.: (11) 3030-1353 abia@abia.org.br - http://www.abia.org.br

 

Procon Vitória - Casa do Cidadão João Luiz Barone - Av. Maruípe, nº. 2544, Itararé. Vitória/ES - CEP: 29.045-230 - Tel.: (27) 3382-5545 - http://www.vitoria.es.gov.br/procon.php

 

Junta Comercial do Estado do Espírito Santo

Av. Nossa Senhora da Penha, 1433 Praia do Canto -Vitória/ES - CEP: 29045-401 Tel.: (027) 3636-9342 - https://www.jucees.es.gov.br

 

Prefeitura de Vitória

SEDEC – Secretaria de Desenvolvimento da Cidade - Rua Vitória Nunes da Mota, 220, CIAC, Ed. Ítalo Batan Regis, Enseada do Suá, Vitória/ES. CEP: 29010-331 Tel.: (27) 3382-6000  -  http://www.vitoria.es.gov.br/sedec.php

 

Secretaria da Receita Federal

Rua Pietrângelo de Biase, n°. 56, Centro, Vitória/ES - 146 http://www.receita.fazenda.gov.br

 

Secretaria de Estado da Fazenda do Espírito Santo

Av. Jerônimo Monteiro . 96 . Ed. Aureliano Hoffman, Centro – Vitória/ES CEP: 29010-002 Tel.: Tel.: (27) 3636-4000 –  0800 283 9155 - http://www.sefaz.es.gov.br

 

Corpo de Bombeiros de Vitória

Rua Ten. Mário Francisco de Brito, 100, Enseada do Suá, Vitória - Espírito Santo - CEP 29.050-555 - http://www.cb.es.gov.br

 

Divisão da Vigilância Sanitária Estadual

Av. Marechal Mascarenhas de Moraes, 2025 Bento Ferreira, Vitória/ES Cep: 29050-625 Tel.: (027) 3636–8300 - http://www.saude.es.gov.br

 

 

FORNECEDORES E FABRICANTES

O SEBRAE/ES se isenta de responsabilidades quanto à forma da atuação das empresas no mercado.

 

Embalagens

 

Atacadão São Paulo

Av. Vitória 2703, Horto, Vitória/ES. CEP: 29050-141 Tel.: (27) 2121-5050 http://www.atacadosaopaulo.com.br

 

Embalagens e Cia - Rua C, Lote 11, Quadra 9, Ourimar, Serra/ES. CEP: 29.173-037 - Tel/Fax: (27) 3338-9969 - E-mail: vendas@embcia.com.br - http://www.embcia.com.br

 

Máquina e equipamentos

 

Metalbraz – Rua Itororó 441, Alvorada, Vila Velha/ES. CEP: 29117-500 - Tel.: (27) 3326-2472 - http://metalbraz.com.br

 

Acimaq

Av. Expedito Garcia, 21, Campo Grande, Cariacica/ES. Tel: (27) 3346-5152 - http://www.acimaq.com.br

 

Fornos Ansatz! Fornos

Avenida Independência, 1010, Cidade Nova, Pindamonhangaba/SP. Telefone: (12) 3642-4146 / 3642-3238 - Site: http://www.ansatz.com.br

 

Perfecta Curitiba

Rodovia BR-277, nº. 5.040, Ponta Grossa Curitiba/PR CEP: 82305-200 Tel.: (041) 3070-1000 Fax: (041) 3370-1006 - http://www.perfecta.com.br

 

Brasilpan – Indústria, Comércio e Acessórios para Confeitaria e Sorveteria Ltda.

Rua Coronel Fawcett, nº 1.111 - Vila Moraes – São Paulo/SP Cep: 04167-031 - Telefone: (011) 5073 3238 brasilpan@gallizzi.com.br - vendas@gallizzi.com.br - http://www.gallizzi.com.br

 

Casa Rubim Ltda.

Rua Pedro Nolasco, 300, Vila Rubim, Vitória/ES. CEP: 29025-065 (27) 3223-0363 - www.casarubim.com.br

 

Cozinha e Cia Profissional

Av. Leitão da Silva, 1381 – Vitória / ES. CEP: 29045-201 PABX: (27) 3225-4122 e-mail: contato@cozinhaecia.com.br  - http://www.cozinhaecia.net.br

 

VINOX INDÚSTRIA E COMERCIO DE METAIS LTDA.

Av. Carlos Lindemberg, 1539 Cobilândia / Vila Velha Espírito Santo 29111-165

(27) 3369.6833 / (27) 3369.6833

Site: http:// http://vinoxes.com.br/site/

Produto: Desenvolve  componentes para cozinhas industriais,

clínicas, consultórios, laboratórios, lanchonetes, açougues, supermercados,

hotéis, restaurantes, hospitais e outros locais onde não só a estética mas também a assepsia é importante, e a utilização do aço inox é recomendada.

 

 

Felipão

Avenida Carlos Lindemberg, 1535, Cobilândia – Vila

Telefone:  27 3359.6419 | MAIL contato@felipao-es.com.br

Site: http://www.felipao-es.com.br/

 

 

 

 

Distribuidora

 

Buaiz Alimentos

Av. Presidente Florentino Avidos, 350, Centro – Vitória/ES. CEP: 29018-190. Tel.: (27) 3331-7000 - http://www.buaizalimentos.com.br

 

Sorvepan

Rua Bela Vista, 96 – Bairro Industrial, Vila Velha/ES. CEP: 29118-710. Tel.: (27) 3326-4244 - http://www.sorvepan-es.com.br

 

Diskpan

Rua Luciano das Neves, 1315, Itapua, Vila Velha/ES. Tel. (27) 3246–8500 - E-mail: comercial@diskpan.com.br - http://www.diskpan.com.br - Produtos para panificação e sorveteria.

 

Sorvedoces - Produtos para Sorveterias

Rua Messias Gonçalves Correia 117 Nossa Senhora da Penha, Vila Velha/ES. CEP: 29110-080. Tel.: (27) 3311-1100 / 3328-0491 - Site: http://www.sorvedoces.com.br

 

REFERÊNCIAS

ü  SEBRAE/NA. Fábrica de biscoitos. Brasília - Sebrae/NA. 1996, 26P. TIPS BRASIL - Consulta nº. SB 4291/SP Aiub, George Wilson. Plano de Negócios: Serviços./George Wilson Aiub, Nadir Andreolla, Rogério Della Fávera Allegretti. 2.ed – porto Alegre : SEBRAE, 2000.

ü  Apas 2010 - Setor de Biscoitos Apresenta Novidades. Disponível em:

ü  http://www.anib.com.br/releases_integra.asp?id=10. Acesso em 13 maio 2010.

ü  FILIPPE, Nadine; LELIS, Renata. Biscoitos Brasileiros Geram Contratos de Us 6 Milhões em Feira nos Emirados Árabes. Disponível em:

ü  http://www.anib.com.br/releases_integra.asp?id=8. Acesso em 13 maio 2010.

ü  Vendas Internacionais de Biscoitos Avança 13% no Início Deste Ano. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/colunas/mercadoaberto/2014/06/1477017-vendas-internacionais-de-biscoitos-avancam-13-no-inicio-deste-ano.shtml. Acesso em 7 ago 2014.

ü  Anibe Trabalha para o Desenvolvimento do Setor - Associação Nacional das Indústrias de Biscoitos. Disponível em: http://www.anib.com.br/ver-imprensa.php?id=1. Acesso em 8 ago 2014.

ü  Mercado Nacional. Disponível em: http://www.anib.com.br/mercado.php. Acesso em 8 ago 2014.

ü  Fabricantes de biscoitos projetam expansão de 7%. Letícia Casado - Valor Econômico/SP. Disponível em: http://www.abrasnet.com.br/clipping.php?area=9&clipping=42864. Acesso em: 8 ago 2014.

 

Oportunidades de negócios é um material informativo acerca dos empreendimentos existentes no segmento correspondente ao seu título. Os dados apresentados são extraídos de publicações técnicas e, em linhas gerais, não têm a pretensão de ser um guia para a implementação dos respectivos negócios. É destinada apenas à apresentação de um panorama da atividade ao futuro empresário, que poderá enriquecer suas ideias com as informações apresentadas, mas carecerá de um estudo mais detalhado e específico para a implementação do seu empreendimento.

 

ÁREA RESPONSÁVEL

UCE – Unidade de Capacitação Empresarial - SEBRAE/ES